Tel. +55 (27) 3038-4122

News

O Rio Santa Maria da Vitoria, um dos principais fornecedores de água para a população da Grande Vitória, tem como afluentes no município de Santa Leopoldina os rios da Prata, Crubixá Mirim, Crubixá Açú e Mangaraí. Com o maior programa ambiental já realizado no Espírito Santo chegando ao município, o Programa de Gestão Integrada das Águas e da Paisagem viabilizará a universalização da coleta e do tratamento de esgoto, e a Bacia do Rio Santa Maria será preservada da poluição, com mais de 23 milhões de litros de esgoto por mês deixando de poluir o manancial. Em Santa Leopoldina o tratamento de esgoto vai saltar de zero para abranger toda a área urbana, e a ordem de início de serviço foi assinada em evento nesta quarta (06), com a presença do governador Paulo Hartung e da Diretoria da Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan). Cerca de 150 pessoas estavam presentes à solenidade, entre pessoas da comunidade e autoridades municipais e estaduais. As obras de implantação e ampliação terão início no segundo semestre, com prazo de execução de 24 meses e mais 12 meses de operação assistida.

O governador Paulo Hartung destacou a importância de o Governo do Estado implementar políticas públicas que permitam avanços nas relações de consumo da sociedade com os recursos naturais. Ele ressaltou que as ações fazem parte do Programa Águas e Paisagens e que o evento faz parte das ações previstas dentro da Semana do Meio Ambiente.

“Estamos dando um passo importante neste programa, que é muito importante em nosso Estado e leva este nome de Águas e Paisagens. Vamos investir mais R$ 9 milhões. É uma obra que será composta por alguns quilômetros de rede para captar o esgoto e, além disso, também vamos ampliar a captação de tratamento. O objetivo é tratar 100% do esgoto da cidade antes de devolver para a natureza”, explicou o governador.

O Rio Santa Maria contribui para o abastecimento de 700 mil habitantes. “O sistema de esgotamento sanitário beneficiará a região e também a população metropolitana. Serão 23 milhões de litros de esgoto tratados/mês que deixarão de poluir os rios. Os serviços de saneamento básico são essenciais, e é a partir deles que podemos promover as condições mínimas de desenvolvimento social. Dessa forma, o objetivo é a prevenção de doenças, com a melhoria da qualidade de vida da população. É uma excelente notícia na Semana em que se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente”, enfatizou o presidente da Cesan, Amadeu Wetler.

Condições básicas de saúde são fundamentais para a boa produtividade das pessoas, pois um trabalhador saudável é mais produtivo e capacitado a ter um rendimento melhor; uma região com coleta e tratamento de esgoto é mais atrativa turisticamente; e uma cidade ou Estado com avanços em relação ao cuidado com o meio ambiente e com esgotamento sanitário possuem mais possibilidades de atrair empresas e investimentos. O Programa das Águas e da Paisagem, do Governo do Estado, é inovador por realizar ligações intradomiciliares e ações integradas para o uso coordenado da água, do solo e de recursos relacionados ao desenvolvimento sustentável. As ações do programa envolvem planejamento e gestão dos recursos hídricos e também de gestão de risco, com investimento específico para o saneamento ambiental.

O secretário estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Aladim Cerqueira, presente ao evento, citou a importância do Reflorestar, que faz parte do Águas e Paisagem e tem o objetivo de promover a restauração do ciclo hidrológico por meio da conservação e da recuperação da cobertura florestal.

 - Santa Leopoldina

Beneficiados (final de plano 2043): 3.945 hab.

Bairros: Cocal, Vila Nova, Olaria, Centro, Caixa d’água, Funil e Moxafongo

Serão implantados:

6,3 Km de rede de esgoto

686 ligações de imóveis na rede

578 ligações intradomiciliares

4 elevatórias de esgoto bruto

Ampliação de 1 Estação de Tratamento de Esgoto

Preservação da Bacia do Rio Santa Maria da Vitória

23 milhões de litros de esgoto tratados/mês

777.600 de litros de esgoto tratados/dia

Programa das Águas e da Paisagem

O Programa de Gestão Integrada das Águas e da Paisagem é financiado pelo Banco Mundial e tem abrangência estadual. Estão incluídos municípios da Região do Caparaó (Dores do Rio Preto, Irupi, Iúna, Ibatiba, Divino de São Lourenço e Conceição do Castelo) e da Região Serrana (Marechal Floriano, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá). Também haverá ações específicas para o saneamento ambiental em Vila Velha e Cariacica, das bacias dos Rios Santa Maria da Vitória e Jucu.

O objetivo é ampliar a cobertura florestal do Estado, com o programa Reflorestar e o projeto Mangaraí, e institucionalizar e promover boas práticas agrícolas e de construção de estradas vicinais para contribuir para a redução do assoreamento e da poluição dos corpos d’água.

FONTE: https://www.cesan.com.br/noticias/programa-de-preservacao-ao-meio-ambiente-chega-a-santa-leopoldina/

O Instituto Trata Brasil divulgou o novo ranking do saneamento. Os dados mostram que Petrópolis avançou algumas posições. 

O município passou de 36º posição em 2017, para 27º este ano. No Estado do Rio de Janeiro, Petrópolis é a segunda cidade no ranking, ficando atrás da cidade de Niterói e seguida por Campos.

Falar de saneamento no Brasil não é tarefa simples. É fácil se perder nas estatísticas de acesso à água potável, recolhimento e tratamento de esgoto.

Apenas 45% do esgoto gerado no Brasil passa por tratamento. Isso quer dizer que os outros 55% são despejados diretamente na natureza, o que corresponde a 5,2 bilhões de metros cúbicos por ano ou quase 6 mil piscinas olímpicas de esgoto por dia. É o que aponta o novo estudo do Instituto Trata Brasil.

Avanços no saneamento

De acordo com os dados do instituto, 94,32% da população de Petrópolis tem água tratada.

No índice de esgoto tratado em relação à água consumida, a cidade ficou entre as  quatros cidades que tiveram 100% de aprovação. O indicador de tratamento de esgotos mostra que 21 das grandes cidades tratam apenas entre 0 a 20% do volume. Em contraponto, 22 cidades tratam mais de 80% do esgoto que produzem.

Petrópolis também se destacou positivamente em relação ao Índice de Perdas de Faturamento Total (IPFT), que afere o volume de água produzida, mas não faturada. As perdas ocorrem por vazamentos, erros de leitura dos hidrômetros, furtos e outros fatores. A cidade teve um indicador de 11,22%, ficando em 6º lugar.

Saneamento básico no país

Em 2016, o percentual da população abastecida com água potável era de 83,3%. O que significa que 16,7%, ou 35 milhões de brasileiros, ainda não tinham acesso ao serviço. Em 2011, o índice de atendimento era de 82,4%. A evolução foi de 0,9 ponto percentual.

Quanto à coleta de esgoto, 51,9% da população tinha acesso ao serviço em 2016. Já 48,1%, ou mais de 100 milhões de pessoas, utilizavam medidas alternativas para lidar com os dejetos – seja através de uma fossa, seja jogando o esgoto diretamente em rios. Em 2011, o percentual de atendimento era de 48,1% — um avanço de 3,8 pontos percentuais.

Apenas 44,9% do esgoto gerado no país era tratado em 2016. Em 2011, o índice era de 37,5% — uma evolução de 7,4 pontos percentuais.

Historicamente, os números de esgoto são piores que os de água no país por conta da falta de prioridade nas políticas públicas, maior custo de investimento e de dificuldade nas obras, entre outros motivos.

Fornecimento de água e esgoto

Por isso, mesmo tendo apresentado a maior alta entre os indicadores, o acesso ao tratamento no país continua baixo, já que o esgoto que não é tratado é jogado diretamente na natureza, causando problemas ambientais e sanitários.

A concessionária Águas do Imperador atua em Petrópolis desde 1998, quando assumiu a responsabilidade pelo fornecimento de água e pela rede de esgoto, serviços até então prestados diretamente pelo governo municipal. De acordo com o contrato de concessão, a empresa vai administrar os serviços na cidade até 2042.

A ação também envolve a Comdep em função de a empresa pública municipal ser a responsável pela subconcessão do serviço; e o Inea por ser responsável pela questão ambiental no Estado do Rio de Janeiro.

Tratamento de esgoto

Petrópolis conta com 26 unidades de tratamento de esgoto (ETE): 03 ETEs principais, 12 ETes menores, 10 Biodigestores e 01 Biossistema, que, juntos, tratam 85% do esgoto urbano.

As principais estações de tratamento de esgoto (ETE): Quitandinha (que atende 70 mil pessoas das regiões de Quitandinha, Coronel Veiga, São Sebastião, Siméria, Castelânea, Thouzet e Valparaíso); Palatinato, no Morin (que atende 65 mil pessoas), do Centro e do Alto da Serra); Piabanha (que atende 30 mil pessoas da Mosela e do Bingen); Corrêas (que atende 9 mil pessoas da região) e Posse (7,5 mil moradores da região são atendidos pela estação).

Além disso, os biodigestores são a solução para o saneamento em áreas mais altas, com maior dificuldade de acesso: são 10, localizados no Quarteirão Brasileiro, Córrego Grande, Vila Rica, Vila Ipanema, Independência, Siméria, Bonfim, Nogueira e Caxambu, além de um biossistema no Vale do Carangola. Mais de 731 mil litros de esgoto são tratados por dia, beneficiando 10 mil moradores. Também estão instaladas 12 estações intermediárias.

Distribuição e Tratamento de água

Em 1998, a cidade possuía apenas uma Estação de Tratamento de Água, a ETA Itaipava, cujo tratamento limitava-se à cloração da água. Nessa época, apenas 2% da população consumia água tratada.

Hoje, são sete estações em funcionamento: Montevideo, Mosela, Bonfim, Itaipava, Pedro do Rio, Secretário e Taquaril.

Cerca de 61,8 milhões de litros de água são tratados diariamente e distribuídos para 94,32% da população. As instalações têm capacidade instalada para atender 100%.

Desde 1998, foram implantados 900 km de rede, Por dia, 52,5 milhões de litros de esgotos são tratados, em 24 unidades de tratamento, que equivalem a 77% dos esgotos urbanos.

Fonte: https://www.saneamentobasico.com.br/petropolis-segunda-cidade-ranking-saneamento/

O Governo do Estado e a Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan) anunciaram a contratação da operação de crédito com o Banco do Nordeste, no valor de R$ 92 milhões. O montante corresponde a 90% de todo o investimento, que é de R$ 102 milhões, em 13 empreendimentos em água e esgoto, em 10 municípios do Norte do Estado.

Quem também anunciou investimentos foi a empresa Weg, que irá investir R$ 140 milhões em ampliação e modernização da sua unidade em Linhares, de 2018 a 2022, gerando 500 novos empregos.
Os anúncios foram realizados durante o Roadshow de Investimento e Desenvolvimento Regional, realizado nesta terça-feira (29), no auditório da Findes, em Linhares.

O encontro – promovido pela Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes) e Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) – abordou ações de desenvolvimento para a região da Sudene e contou com o apoio do Governo do Estado e da Prefeitura de Linhares.
Durante o evento, aconteceu também a assinatura de financiamento de 30 projetos da agricultura familiar por meio do termo de cooperação entre o Banco do Nordeste e o Incaper no valor total de R$ 728 mil.

O governador Paulo Hartung ressaltou que o evento tem como objetivo difundir para as lideranças da Região Norte, as potencialidades e oportunidades existentes  nesta área do Estado que faz parte  da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). O governador também destacou os investimentos de quase R$ 250 milhões anunciados pela Weg  para expansão do parque industrial e da Cesan para  saneamento básico, coleta e tratamento de água. Hartung também comemorou a liberação de linhas de créditos do Banco do Nordeste para agricultura familiar.

“O nosso interesse é aproximar nossas instituições do BNDES. Desde que nossa Região Norte passou a pertencer à Sudeste, é visível o desenvolvimento, porém o potencial que temos ainda pode ser muito desenvolvido. Convidamos todos os prefeitos, que são líderes, para difundirmos as possibilidades que temos porque elas são geradoras de enormes oportunidades em nosso Estado”.

Sobre os investimentos em saneamento básico, Paulo Hartung afirmou que simboliza qualidade de vida e saúde para população. Hartung também declarou que a Cesan está disposta a assumir e modernizar os sistemas de coleta e tratamento e água dos municípios que possuem gestão própria no setor.

“O Banco do Nordeste está liberando uma linha de crédito para Cesan investir mais de R$ 100 milhões em coleta, tratamento de esgoto e água tratada. Essa operação da Cesan com o banco do Nordeste é só o começo. Será a primeira de muitas operações. Os projetos já estão sendo preparados. Aos municípios que não estão satisfeitos com o sistema próprio de saneamento básico, informamos que a Cesan está disponível para assumir e realizar os investimentos necessários. A Cesan tem capacidade de ir em frente, assim como outras opções de capital privado”, sugeriu.

O secretário de Estado de Desenvolvimento, José Eduardo Azevedo, aproveitou a oportunidade para ressaltar a importância da integração dos atores responsáveis pelo desenvolvimento regional e também os projetos previstos para o Norte do Estado. “A integração dos principais atores é um desafio que requer ações como este evento. Temos cerca de 114 projetos públicos e privados acima de R$1 milhão previstos para a região Norte. A expectativa é positiva e exige de nós trabalho integrado”, afirmou.

Investimento

Os investimentos em saneamento englobam sistemas de abastecimento, nos quais serão construídas redes de distribuição; adutoras de água bruta e tratada; estações de tratamento de água; e para os sistemas de esgotamento sanitário, serão construídas redes coletoras, recalques de esgoto bruto, elevatórias e estações de tratamento de esgoto. No total, serão 27 km de rede de distribuição de água, atendendo a 1.692 ligações e, 67 km de rede de esgoto atendendo a 4.558 ligações.

Segundo o presidente da Cesan, Amadeu Wetler, a operação de crédito é a primeira da Cesan com o Banco do Nordeste e tem como propósito financiar as obras em Água Doce do Norte, Águia Branca, Barra de São Francisco, Boa Esperança, Montanha, Nova Venécia, Vila Valério, Pedro Canário, Ponto Belo e São Gabriel da Palha, visando compor os investimentos necessários ao alcance dos objetivos da Cesan descritos em seu planejamento estratégico.

“Com estas obras, a Cesan avança mais rapidamente no seu objetivo estratégico de universalizar os sistemas de esgotamento sanitário em sua área de concessão, além de ampliar e melhorar os sistemas de abastecimento de água existentes mantendo a universalização deste serviço”, completou.

O Banco do Nordeste do Brasil S. A. é o maior banco de desenvolvimento regional da América Latina e diferencia-se das demais instituições financeiras pela missão que tem a cumprir: atuar como Banco de Desenvolvimento da Região Nordeste do país e parcialmente na região Sudeste, contemplando, aqui no Estado, 28 municípios do Norte.

Com 100% de redes de coleta implantadas, e em fase avançada de construção de sua estação de tratamento, a cidade de Ituporanga, no Alto Vale do Itajaí, receberá no início desse ano seu sistema público de esgotamento sanitário. Mais de 8 mil moradores serão beneficiados com a coleta de tratamento de esgotos. O investimento em Ituporanga é de R$ 15,4 milhões, obtidos pela CASAN junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

“Já foram instalados mais de 17 quilômetros de redes de coleta, e a estação de tratamento está com mais de 70% das obras executadas”, informa o gerente de construção da CASAN, Fábio Krieger. Ao final das obras, aproximadamente 50% dos moradores de Ituporanga contarão com coleta e tratamento de esgoto. 

Atualmente a Companhia executa obras de esgotamento sanitário em mais de 30 cidades. A meta é levar Santa Catarina a um dos primeiros lugares do ranking de saneamento em 2019.  O SES Ituporanga faz parte do Plano de Investimentos da CASAN, que prevê 1,6 bilhão somente para esgotamento sanitário.

Ligação ao sistema somente com orientação da CASAN

A CASAN alerta moradores de Ituporanga para que não realizem ainda a conexão de seus imóveis à rede coletora do Sistema de Esgotamento Sanitário em implantação. A liberação para que os imóveis sejam conectados ao sistema público será comunicada e orientada pela CASAN no momento adequado, quando todo o sistema estiver concluído. A conexão ao sistema antes do início de operação pode gerar problemas para moradores (retorno de esgoto às residências) e também à cidade, como mau cheiro nas ruas.

Fonte: https://www.casan.com.br/noticia/index/url/casan-entrega-sistema-de-esgoto-sanitario-de-ituporanga-no-primeiro-semestre-desse-ano#0

Info

R. Alcides Simão Helou, 443 – CIVIT II – Serra – ES

  (27) 3038.4122

Orçamento

Faça sua solicitação de orçamento aqui.

  Clique Aqui

Área de Usuário

Folder Institucional

Faça o download do nosso folder aqui.

© 2016 Sanevix. Customização SZD

Search